domingo, 20 de outubro de 2013

Hora de aceitar a derrota e seguir em frente

O ABC voltou a campo hoje para enfrentar a equipe do Guaratinguetá no Frasqueirão e acabou sendo derrotado por 4x2. Rodrigo Silva marcou os dois gols do alvinegro, enquanto Rafinha, Ruan, Alex Afonso e Marquinhos fizeram para o time paulista.

Sobre o jogo, o Guará deu um ataque perigoso logo no primeiro minuto, mas ficou por aí. Depois, só deu ABC, e o primeiro gol saiu aos 13 minutos, de pênalti. O alvinegro poderia ter feito mais gols e até matado o jogo, mas não fez. E aos 25, veio o castigo, com o gol de empate de Rafinha.

Porém, o Mais Querido começou a perder o jogo aos 32 minutos. Flávio Boaventura fez falta no meio-campo e partiu pra cima de Giovanni Augusto, que revidou com um empurrão. A partir daí, começaram as agressões verbais, mas a turma do "deixa disso" chegou rápido. O árbitro não viu o lance, mas o bandeira viu. Resultado: cartão amarelo para Flávio Boaventura. Só que ele já havia recebido um, o que ocasionou a expulsão.

Após quatro minutos de confusão, os jogadores do ABC (incluindo o goleiro Wilson Júnior) ainda estavam discutindo com o árbitro, quando o mesmo autorizou a cobrança de falta do time adversário. Ruan viu o arqueiro ABCdista adiantado e mandou do meio-campo, virando o jogo para o time do Guaratinguetá. Foi um gol totalmente anti-ético. Faltou fair play do time visitante.

Depois desse gol, o que se viu no Frasqueirão foi um enorme silêncio, parecido com o do jogo contra o Bragantino em 2007, após o gol de empate de Cris. Depois da queda, o coice. Por sorte, Gilmar, que estava apagado no jogo, fez boa jogada de contra-ataque e lançou para Rodrigo Silva, que tocou na saída do goleiro e empatou a partida para o Mais Querido.

Mesmo com o gol, o time do ABC estava perdido. A torcida também. O que havia acontecido parecia surreal. Um jogo maluco. E ficou ainda pior. No último minuto do primeiro tempo, Murilo ganhou na direita e cruzou para Alex Afonso, que cabeceou e fez o terceiro gol do Guará.

No intervalo, não se falava em outra coisa no estádio que não fosse a briga dos dois jogadores do ABC. Alguns condenando, outros tentando entender o diabos havia acontecido. E eis que veio o segundo tempo.

No começo, só deu Guaratinguetá. Se quisessem, poderiam ter matado o jogo naquela hora. O clima que tomava conta do estádio, ou pelo menos que EU estava sentido, era de que o ABC estava perdendo de 3, 4x0. A partir dos 10 minutos, o alvinegro começou a ir pra cima, mas sem a mesma qualidade das outras partidas.

Por sorte, também temos um ótimo jogador chamado Júnior Timbó, que acertou todas as cobranças de bola parada que levavam perigo. Porém, o Mais Querido não conseguiu o empate. Após 10 minutos de pressão, o jogo voltou a ser dos visitantes. E aos 32, o golpe fatal. Na cobrança de um escanteio que não houve, a zaga vacilou e Marquinhos apareceu sozinho na pequena área e matou a partida. 4x2 e Roberto Fernandes perdia os 100% de aproveitamento no Frasqueirão.

Ninguém gosta de perder, é claro, mas uma hora isso iria acontecer. E aconteceu quando podia acontecer. Aconteceu quando o ABC havia conquistado uma bela sequência de vitórias e criou uma certa distância da zona de rebaixamento. Nessa sequência, vencemos dois jogos em que, teoricamente, "poderíamos" perder, que foram contra Palmeiras e Joinville.

Agora é hora de levantar a cabeça e já pensar na sequência do campeonato. Terça tem decisão em Belém, e o ABC não pode nem pensar em perder este jogo. São 4 jogos em casa e 4 fora, precisamos de no mínimo mais três vitórias. Nessa última partida, a briga abalou o time, mas terça eles entrarão renovados, ao menos assim esperamos. O Paysandu vai estar muito pressionado por sua torcida. O alvinegro tem que ir pra cima e tentar meter um gol logo no início, pois assim a torcida jogará contra o próprio clube. O jogo será ás 18h30, horário de Natal.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário