segunda-feira, 11 de setembro de 2017

A língua é o chicote do...

Se aproveitar de uma má fase do clube para dizer "eu faria melhor", dizer o caminho certo a ser seguido como se fosse fácil, criticar contratações que deram errado como se elas não tivessem sido bem avaliadas e elogiadas na época... ser oposição não é lá uma das tarefas mais difíceis aqui no ABC.

Como o título já sugere, a língua é o chicote do... corpo (vou amenizar para os leitores), mas pau que bate em Chico, bate em Francisco. O pior pesadelo que um "opositor nato" pode ter é substituir aquele que ele tanto crítica e ter que provar que é tão bom quanto falava. O canhão vira o alvo, e as coisas começam a se complicar.

Quando se é oposição, é fácil indicar jogador x, y e z, falar que possuem qualidades, mas quando é a sua vez, consegue trazer piores.

Quando se é oposição, é fácil falar para os que estão lá dentro renunciarem pelo bem do clube, mas quando é a sua vez, não larga o osso de jeito nenhum.

Quando se é oposição, é fácil falar que a atual diretoria não tem pulso firme e os jogadores mandam e desmandam, mas quando é a sua vez, consegue montar um elenco com três ou quatro panelinhas dentro dele e jogadores descompromissados com o clube.

Quando se é oposição, é fácil falar que a atual diretoria errou nisso ou naquilo, mas quando é a sua vez, não admite erros de forma alguma, mesmo eles sendo tão claros e óbvios.

Muito cuidado: existem muitos "opositores natos" por aqui, aqueles que são sempre oposição independente de quem está lá dentro, pois ser oposição hoje é muito cômodo, mas entrar e fazer melhor ninguém consegue, não é mesmo?

Esse post não visa defender lado A ou lado B. Aliás, o dono deste blog é totalmente contra existirem lados no ABC, pois o clube unido já enfrenta muitas dificuldades, avalie separado. Mas é preciso ser justo e falar algumas verdades para aqueles que sempre meteram o bedelho na gestão passada e hoje conseguem ser ainda piores.

Tá na hora de mudar, e mudar de verdade. Nos últimos 22 anos, tivemos apenas três presidentes (eleitos): Leonardo Arruda, Judas Tadeu e Rubens Guilherme. A torcida agradece tudo que eles fizeram, pois mesmo com alguns fracassos, deixaram alguma contribuição para o clube. Mas a hora deles já passou, é hora de entrar gente nova, um nome de consenso que consiga unir situação e oposição, e não ficar nesse ciclo vicioso que está no ABC hoje, onde o ego sempre fala mais alto. Se essa briguinha continuar, a tendência são as coisas piorarem muito.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário